Necropsia aponta que filhote de baleia jubarte encontrada na praia de Barra Velha morreu durante o parto

11.09 – Dificuldades no momento do parto são uma das hipóteses consideradas para a morte do filhote de baleia jubarte que foi encontrado encalhado na praia, em Barra Velha, no dia 30 de agosto. Segundo os resultados da necropsia da equipe de veterinários e biólogos da Univali, do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos, animal sofreu asfixia perinatal.

As primeiras análises apontam que no momento o filhote foi bloqueado na hora da passagem pelo canal do parto, ou por uma posição anormal, ou pelo tamanho grande ou a bacia/pelve pequena da mãe, que acomete principalmente fêmeas que estão em sua primeira gestação.

O filhote, de aproximadamente 3,8 metros de comprimento total, pesava cerca de 800 quilos, pode ter sido impedido de respirar, resultando na morte.

De acordo com a médica veterinária do Projeto de Monitoramento, Tiffany Emmerich, o filhote recém-nascido ainda apresentava dobras causadas naturalmente pela posição fetal no útero materno. “No exame externo também se percebeu a presença de parte do cordão umbilical. Ambas as análises indicam a morte precoce do filhote. Certamente o animal morreu próximo ao momento do nascimento”, explica. Também foi observado líquido e areia no interior dos brônquios, indicativos de afogamento.

Habitante de todos os oceanos, a baleia-jubarte faz uma migração anual para reprodução. No inverno, a espécie parte em busca das águas tropicais e subtropicais para reprodução, que é caso das praias de Santa Catarina. Uma das características desta espécie é a busca por áreas próximas de ilhas e continentes para se reproduzir, por isso são avistadas com frequência nesta época do ano. Depois da temporada de reprodução, a jubarte segue o ciclo migratório para as águas polares em busca de alimento. No dia que o filhote foi encontrado não havia sinais de presença da mãe nas proximidades.

Ao avistar animais marinhos mortos ou debilitados nas praias, entre em contato com a equipe do PMP-BS pelo telefone 0800 642 3341.

Fonte fotos: Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos/Univali – Penha SC

Compartilhe!

No Comments

Deixe uma resposta